8 de jul de 2010

A realidade

Lá estava eu, chorando.- de novo. Tudo o que eu fazia parecia não dar certo, todo o tempo do mundo parecia não ser o suficiente, todas aquelas perseguições, pareciam que nunca iam ter um fim. O que estava acontecendo comigo? Por que eu? O que eu fiz de errado? Eu só queria uma ajuda, alguém que pudesse se disponibilizar para me ajudar... Foi aí que eu descobri, o que Deus queria de mim.

Quando somos crianças, temos ajuda de todas as pessoas a nossa volta, nunca temos razão para nos sentirmos inseguros ou até mesmo tristes. Durante toda minha infância, eu tive atenção redobrada da minha mãe e dos meus parentes, - já que meus pais tinham se separado. Na verdade, eu não me lembro muito bem disso, mas conforme eu fui crescendo, fui me acostumando com a atenção de todos, eu simplesmente adorava ser criança! Afinal, tinha coisa melhor? Infelizmente, a infância não dura para sempre, não é mesmo? Todos nós crescemos, e foi isso que aconteceu comigo, eu cresci.

Isso para mim, era sinônimo de "nada de atenção". Não vou ser hipócrita. A adolescência para mim, significava servir a Deus, e honrá-Lo de todas as formas possíveis! E é claro, honrar a minha mãe também. Então, eu sonhava e imaginava, a minha adolescência, rodeada de livros, e de vários amigos inteligentes, e é claro, com a ajuda de todos a minha volta. Olha... Aconteceu totalmente ao contrário.

Eu precisava de atenção! Eu precisava de ajuda! Mas quem iria me ajudar? As pessoas, estavam trabalhando demais, ou cansadas demais para me ajudar. Havia noites, em que eu derramava lágrimas esperando alguém bater na porta, e perguntar "O que houve?" (mesmo derramando apenas lágrimas, sem choro algum) era tudo o que eu precisava... Eu não recebi. E foi exatamente aí que eu percebi: "Jovens, eu vos escrevi, porque sois forte, a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o maligno." (1 Jõao 2;14) É muito forte, não? Que tipo de jovem eu era, pra ficar pelos cantos chorando, esperando ajuda? Onde estava a minha força?

Querida leitora, se você quiser ser um referencial de Deus nesse mundo, se você realmente está disposta em fazer a diferença, fique certa de uma coisa: Você vai passar por lutas! E muitas! Mas se o seu objetivo, for maior do que sua "carência", você irá alcançar seu objetivo. Creia nisso!