18 de jun de 2010

Meu único pai

Meus pais se separaram quando eu tinha apenas 2 anos. Então, dá pra imaginar que toda a minha vida eu não tive um pai presente.

Quando chegava o dia dos pais, minha mãe ia me buscar no colégio, e me via com os olhos cheios de lágrimas com um presentinho nas mãos. Eu me derrubava em seus braços, e começava a chorar... Foi assim toda a minha vida.

Quando entrei no ginásio, conheci uma menina, que apesar de ter 12 anos, seu pai fazia questão de buscá-la. E o pior: ela falava dele todos os dias.

Eu me sentia um lixo. Era como se eu fosse um E.T na frente delas. Eu nunca conseguia o que elas falavam de seus pais, e quando tentava entrar na conversa, logo era excluída e elas começavam a rir de mim.

Tentei diversar vezes fazer do meu pai, um pai presente. Afinal,eu só o via uma vez em dois ou três anos. Foi inútil, não era de seu interesse ser pai. Eu desisti. Eu não podia forçá-lo a ser meu pai.

Nisso, eu só ia me afundando mais e mais no mundo... e por incrível que pareça, quanto mais eu me enchia desse mundo, mais vazia me sentia. E quando alguém tocava nesse assunto, eu saia logo de perto. Meu desejo era nunca mais falar sobre isso com ninguém - era inevitável.

Até que eu me converti. Na verdade, quando comecei a me aproximar de Deus eu não O chamava de Pai, afinal, não O considerava assim.

Por incrível que pareça, só O conheci, quando realmente fiz dEle meu Pai. Era quase inevitável, pr mais que eu não O considerasse, Ele queria ser meu Pai!

Toda vez que conversávamos, Ele me chamava de filha. Toda vez, que abria a bíblia lá estava Ele me chamando de filha.

E é por isso, que digo que o meu Pai é o melhor Pai do mundo ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário