19 de mai de 2010

A adolescente cristã: Ela não inveja

"Pois, onde há inveja e sentimento faccioso, ai há confusão e toda espécie de coisas ruins" (Tiago 3;16)


Quando olho para trás, consigo enxergar claramente isso em minha vida. Eu não invejava. Mas era invejada, por mas que eu não soubesse o motivo - isso não mudava nada. Eu passei por isso durante toda a minha vida (exceto quando estava longe de Deus), e só consegui entender isso depois de um certo tempo. Havia algo em mim que eles não tinham, algo que eles desejavam profundamente e nunca conseguiam ter. O que era? As obras da minha fé. Algo que muitos desejam e poucos conquistam.


Na verdade, passo por isso até hoje, e se me deixasse enganar por isso ... eu já estaria perdida. A inveja, é desgosto pelo bem alheio, é insatisfação de ver alguém conseguindo algo que ele não conseguiu. Isso é terrível.


Como diz esse versículo, havia sempre uma confusão perto de mim, sempre havia alguma coisa em que eu estava envolvida. Na verdade, eu nem falava com essas pessoas, mas elas chegavam a inventar algo que envolvesse meu nome. Como eu era (sou) filha de Deus, elas sempre saiam derrotadas, mas era muito difícil para mim suportar aquela situação, e o pior de tudo: eu teria que amá-las. Não foi nada fácil. Não é fácil suportar uma situação dessas e ainda ter que amá-las como se fossem suas irmãs.


Hoje, quando lembro disso, até me divirto, pois consigo ver o que Deus fez por mim, e o que o diabo fez por elas.


A adolescente cristã não inveja ninguém - por mais que seja tentada em fazê-lo. Pense comigo, ela tem a salvação eterna, tem o Espírito Santo no controle de sua vida e Deus como seu pai. O que mais ela ia querer? Ela já tem tudo que uma pessoa poderia querer! Essas são as maiores obras de sua fé! O resto, fica fácil.



- Essas são algumas meninas do força jovem. Aprendi tanto com elas! Nunca as vi ou ouvi falarem mal de alguém, pelo contrário, sempre elogiaram, sorriram, abraçaram, beijaram ... sempre me ensinaram isso. Se o força jovem fosse feito de pessoas invejosas, nós não seríamos o que somos hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário